Arquivo da categoria: Xenofobia

Elza Goersh – 3º Ano – Etnia, Diversidade Cultural e Conflitos

Material auxiliar para prova global do 3º Ano (1º período)

ne-277-diversidade-etnico-racial-01

Etnia, Diversidade Cultural e Conflitos

Botao-Download

Páginas correspondentes no livro didático: 11 a 28

© Copyright Prof. Henrique D. F. Souza

Líbia prendeu mais de 600 migrantes que iam a Europa nos últimos 3 dias

Ao menos dois barcos foram interceptados navegando para fora da Líbia.
País se tornou um dos principais centros para traficantes de humanos.

Migrantes que esperavam chegar à Europa de barco foram presos na Líbia nesta terça-feira (21) (Foto: AFP PHOTO / MAHMUD TURKIA)Migrantes que esperavam chegar à Europa de barco foram presos na Líbia nesta terça-feira (21) (Foto: AFP PHOTO / MAHMUD TURKIA)

A Líbia interceptou nos últimos três dias várias embarcações lotadas de africanos que tentavam chegar à costa da Itália, detendo mais de 600 imigrantes, disse um representante do gabinete de imigração do país nesta terça-feira (21).

O país do norte da África, assolado pela violência e o colapso da autoridade governamental quatro anos após a derrubada de Muammar Gaddafi, se tornou um dos principais centros de ação para traficantes de humanos, que dali embarcam os imigrantes africanos para a Itália.

As forças de segurança líbias detiveram cerca de 70 africanos em Trípoli nesta terça-feira, enquanto aguardavam por traficantes para serem colocados em barcos com destino a Lampedusa, disse à Reuters um alto representante do gabinete de imigração líbio na capital.

 

Continuar lendo Líbia prendeu mais de 600 migrantes que iam a Europa nos últimos 3 dias

Itália resgatou 638 imigrantes em alto-mar na segunda

Balanço foi divulgado pela Guarda Costeira nesta terça.
Capitão e ajudante de navio líbio naufragado foram presos.

 Depoimentos dos sobreviventes ajudaram a definir o número de mortos (Foto: REUTERS/Alessandro Bianchi)Depoimentos dos sobreviventes ajudaram a definir o número de mortos (Foto: REUTERS/Alessandro Bianchi)

Mais 638 imigrantes foram resgatados nesta segunda-feira (20) em alto-mar após seis operações de socorro diferentes, informou nesta terça-feira (21) a Guarda Costeira da Itália em comunicado.

Os imigrantes viajavam a bordo de seis barcos em águas da costa da Líbia e receberam assistência do navio “Fiorillo” da guarda-costeira, de uma embarcação mercante e da Marinha italiana.

As primeiras 93 pessoas resgatadas, entre elas 12 mulheres e duas crianças, foram levadas na noite passada à ilha de Lampedusa, no sul do país.

Continuar lendo Itália resgatou 638 imigrantes em alto-mar na segunda

Filme brasileiro “Olhos Azuis”, aborda preconceito contra imigrantes brasileiros nos EUA

Personagem de David Rasche viaja ao Brasil em ''Olhos Azuis'', filme de José Joffily
Personagem de David Rasche viaja ao Brasil em ”Olhos Azuis”, filme de José Joffily
Sinopse:

Marshall (David Rasche) é o chefe do Departamento de Imigração do aeroporto JFK, em Nova York. Comemorando seu último dia de trabalho, Marshall resolve se divertir complicando a entrada no país de vários latino-americanos. Entre eles está Nonato (Irandhir Santos), um brasileiro radicado nos EUA, dois poetas argentinos, uma bailarina cubana e um grupo de lutadores hondurenhos. Dois anos depois, Marshall vem ao Brasil procurar uma menina de nome Luiza. Quando ele conhece Bia (Cristina Lago), uma jornada em busca de redenção se inicia. Olhos Azuis foi o grande vencedor do II Festival Paulínia de Cinema com seis prêmios, incluindo o de Melhor Filme.

Continuar lendo Filme brasileiro “Olhos Azuis”, aborda preconceito contra imigrantes brasileiros nos EUA

Ataques contra imigrantes se multiplicam no centro de Johannesburgo

17abr2015---carros-incendiados-ficam-nas-ruas-de-joanesb_002
Carros incendiados ficam nas ruas de Joannesburgo, África do Sul. Doze pessoas foram detidas na madrugada desta sexta-feira (17) por ataques contra estrangeiros na cidade sul-africana, que vive um aumento nos casos de xenofobia.

Doze pessoas foram detidas na madrugada desta sexta-feira por ataques contra estrangeiros em Johannesburgo, onde a onda de xenofobia aumentou, informou a polícia.

“Doze suspeitos foram detidos por tentar atacar lojas que eram propriedade de estrangeiros”, explicou um porta-voz da polícia, o tenente-coronel Lungelo Dlamini.

De acordo com informações locais, os manifestantes de uma residência de trabalhadores saíram às ruas para exigir que os estrangeiros deixem a África do Sul, atearam fogo em carros e enfrentaram a polícia.

Não foram registrados feridos, disse Dlamini.

Este foi o último incidente em uma onda de violência que começou no início do mês no porto de Durban e que até o momento deixou seis mortos.

A tensão era palpável nesta sexta-feira, e trabalhadores desta residência seguiam exigindo diante dos jornalistas que os imigrantes deixem a cidade.

“Condenamos a violência de forma contundente. Convocamos a calma e pedimos o fim da violência”, declarou na quinta-feira ante o Congresso o presidente sul-africano, Jacob Zuma.

No início do ano, outros ataques em Soweto, ao sul de Johannesburgo, obrigaram comerciantes de nacionalidade estrangeira a abandonar suas propriedades e fugir, diante do medo de serem assassinados.

O desemprego chega a 25% na África do Sul, e as perspectivas econômicas são ruins para este ano.

© Copyright AFP / UOL

‘Olhos azuis’ explica a discriminação pela cor dos olhos

jane-elliott-001
Jane Elliott

A professora e socióloga Jane Elliott ganhou um Emmy pelo documentário de 1968 “The Eye of the Storm”, em que aplicou um exercício de discriminação em uma sala de aula da terceira série, baseada na cor dos olhos das crianças.

Hoje aposentada, aplica workshops sobre racismo para adultos. “Olhos Azuis” é a documentação de um desses workshops em que o exercício de discriminação pela cor dos olhos também foi aplicado.

O objetivo do exercício é colocar pessoas de olhos azuis na pele de uma pessoa negra por um dia.

Para isso, ela rotula essas pessoas, baseando-se apenas na cor dos olhos, com todos rótulos negativos usados contra mulheres, pessoas negras, homossexuais, pessoas com deficiências físicas e todas outras que sejam diferentes fisicamente.

Continuar lendo ‘Olhos azuis’ explica a discriminação pela cor dos olhos

Onda de xenofobia assusta imigrantes na África do Sul; pelo menos quatro pessoas foram mortas

AFRICA DO SUL
 Mais de 2.000 estrangeiros estão refugiados em um campo na cidade portuária de Durban, na África do Sul.

O país vive uma onda de xenofobia: pelo menos quatro pessoas foram mortas desde a semana passada e 74 foram presas, de acordo com o porta-voz da polícia Jay Naicker.

No total, pelo menos 5.000 estrangeiros tiveram que deixar suas casas em Durban, importante ponto de saída para o Oceano Índico. Nesta quarta-feira (15), a onda de violência atingiu cidades vizinhas também.

Em Joanesburgo, onde lojas de imigrantes foram saqueadas no começo do ano, vários estabelecimentos fecharam as portas, para evitar atos de violência. De acordo com a Reuters, mesmo que a cidade não tenha registrado ataques nas últimas semanas, os comerciantes foram ameaçados via mensagens, que afirmavam que todos os estrangeiros seriam mortos.

Embora o governo tenha condenado a onda de violência, segundo o site australiano News, Zulu King Goodwill Zwelithini, líder de um grande grupo étnico no país, disse que os estrangeiros tinham que “fazer as malas e irem embora”.

Edward Zuma, filho do presidente Jacob Zuma disse à uma agência local que o país estava “sentado em uma bomba relógio de estrangeiros que tomam o país”. Mesmo diante de intensas críticas, ele disse que não vai de desculpar pelo que disse, nem retirar seus comentários.

O presidente designou uma equipe de ministros para lidar com o problema. Assim como muitos ativistas anti-apartheid, Zuma foi refugiado em outros países africanos enquanto estava exilado.

Centenas de milhares de estrangeiros, a maioria de outros países do continente e da Ásia, se mudaram para o país desde o fim do Apartheid, em 1994. Com cerca de 50 milhões de habitantes, a África do Sul é lar para cerca de 5 milhões de estrangeiros.

O Malauí afirmou que vai retirar seus cidadãos do país a partir do final de semana. Pelo menos 420 malauianos estão nos campos de refugiados em Durban para fugir da violência, segundo o governo do país. Segundo a rede Al Jazeera, autoridades negociam com o governo sul-africano para que os imigrantes possam deixar o país sem passaporte – a maioria deles perdeu todos os documentos durante a fuga.

Segundo a BBC, pelo menos 62 pessoas morreram em ataques xenofóbicos no país desde 2008.

A maioria das ondas de violência contra estrangeiros é causada porque alguns sul-africanos alegam que seus empregos são roubados. A taxa de desemprego no país é de 24%.

Nas redes sociais, uma campanha de repúdio aos ataques ganhou força por meio da hashtag #SayNoToXenophobia (diga não à xenofobia, em tradução livre).

© Copyright Brasil Post