Arquivo da categoria: Terra

Dia da Terra: Google Earth celebra com nova versão para web e Android

Em tempo de comemorar o Dia da Terra que acontece hoje, 22 de abril, o Google lançou na última terça-feira (18) uma versão repaginada do aplicativo Google Earth para web e Android. O app recebeu melhorias no recurso 3D e visitas guiadas por profissionais, além de um visual totalmente renovado. De acordo com o Google, a versão para iPhone (iOS) será lançada em breve.

As mudanças já podem ser vistas na versão para desktop do Google Earth e estão disponíveis para quem possui o Chrome com WebGL. A versão Android chegou ao mesmo tempo na Google Play Store, porém, dependendo da região, pode demorar de um a dois dias até estar disponível a todos os usuários.

Google Earth (Foto: Reprodução/Google)Veja as mudanças do Google Earth (Foto: Reprodução/Google)

Maquetes Usinas de Energia – Modelos e dicas de como fazer

ffbb434fc6a4410c0ea087a8d82a7a77
 Para ajudar  alunos  a construir  maquetes de Usinas de Energia separamos algumas dicas muito especiais que possam auxiliar as equipes na construção das maquetes.escolares.
Um dos trabalhos escolares que toda criança ou adolescente faz na época dos estudos é a maquete.

Em comemoração ao Dia da Terra, Nasa divulga foto do planeta azul

Para celebrar o Dia da Terra, a Agência Espacial Americana (Nasa) divulgou nesta terça-feira, 22, uma imagem do planeta azul. Na foto, capturada por um satélite, é possível ver as Américas e desvendar as condições climáticas do planeta.

Imagem em comemoração ao Dia da Terra - Nasa
                                           Imagem em comemoração ao Dia da Terra

De acordo com a Nasa, a localização das nuvens indicam pancadas de chuva na Colômbia, Venezuela, Equador, Peru, Bolívia, Paraguai e a noroeste e sudeste do Brasil.

Selfie global. A Nasa também convocou a população mundial a fazer uma ‘selfie’ e compartilhar nas redes sociais com a tag #GlobalSelfie para criar um mosaico mundial durante a comemoração do Dia da Terra. A agência lembrou que, apesar de que os cientistas tenham identificado milhares de novos planetas no universo nos últimos anos, a Nasa não estuda nenhum outro com mais profundidade como estuda a Terra.

“Com 17 missões de observação da Terra orbitando nosso planeta e várias mais que serão lançadas este ano, a Nasa estuda a atmosfera terrestre, a terra e os oceanos em toda sua complexidade”, destaca a agência espacial.

Clique aqui para acessar o site do projeto

Sabia que é possível mergulhar entre duas placas tectônicas na Islândia?

Fotógrafo registra imagens espetaculares do vão que separa a placa Euroasiática da Norte-americana
Fonte da imagem: Reprodução/Alex Mustard Sabia que é possível mergulhar entre duas placas tectônicas na Islândia?

Se você se interessa por geologia — em especial por temas relacionados com a tectônica de placas —, então você provavelmente já leu sobre as diversas placas e subplacas presentes na Terra. Entre elas estão a Euroasiática e a Norte-americana que, de acordo com o Daily Telegraph, estão se separando a um ritmo de aproximadamente 2,5 centímetros ao ano.

No entanto, sabe algo muito interessante sobre essas duas placas? Existe um lugar no qual é possível visualizar sua separação! Esse local é conhecido como Silfra e se encontra no lago Þingvallavatn, na Islândia. Além de permitir que possamos observar o afastamento entre as duas placas tectônicas, também é possível mergulhar no vão que está se formando entre elas.

A imagem que abre esta notícia foi clicada pelo fotógrafo britânico Alex Mustard. Nela, ele se encontra a cerca de 25 metros de profundidade, embora existam trechos ao longo de Silfra que podem ultrapassar os 60 metros. Além disso, as águas cristalinas — que marcam temperaturas de apenas 4 °C — oferecem incrível visibilidade, tornando o vão um popular destino para mergulhadores profissionais e amadores. Confira a seguir mais imagens desse local espetacular:

Conheça 15 fronteiras interessantes espalhadas pelo mundo

As regiões que separam países são, muitas vezes, pontos turísticos diferentes, como os que você vai ver a seguir

Imagem: Reprodução/tudointeressante Conheça 15 fronteiras interessantes espalhadas pelo mundo

Que fronteiras são marcos que separam duas nações, você já sabe. Mas será que sabe também como são algumas fronteiras ao redor do mundo? Se você ainda não pode sair por aí à procura da próxima linha que delimita o início e o fim de dois países, o que, aliás, seria uma viagem muito bacana, já pode saber quais são algumas das fronteiras mais interessantes de todas. Confira:

1 – Holanda e Bélgica

Fonte da imagem: Reprodução/tudointeressante

A cidade de Baarle é uma confusão só, já que, teoricamente, pertence à Holanda, mas tem 26 espaços que são da Bélgica. Aí fica essa confusão toda e vários tipos de sinalização, como a que você vê na foto acima, para explicar qual parte é da Holanda e qual pertence à Bélgica.

2 – Bélgica, Países Baixos e Alemanha

Fonte da imagem: Reprodução/tudointeressante

Esse marco é o ponto que delimita a área dos três países.

3 – China e Índia

Fonte da imagem: Reprodução/tudointeressante

4 – Hemisférios Norte e Sul

Fonte da imagem: Reprodução/tudointeressante

Exatamente ao meio do planeta.

5 – Brasil e Bolívia

Fonte da imagem: Reprodução/tudointeressante

O que separa os dois países é um rio. Na imagem acima você pode ver a área mais clara, que representa o Brasil e o desmatamento da floresta tropical brasileira. A área mais escura é da Bolívia.

6 – Coreia do Norte e Coreia do Sul

Fonte da imagem: Reprodução/tudointeressante

7 – Espanha e Marrocos

Fonte da imagem: Reprodução/tudointeressante

A fronteira é cercada para impedir que imigrantes ilegais invadam a cidade espanhola de Ceuta, que fica próxima a Melilha.

8 – Áustria, Hungria e Eslováquia

Fonte da imagem: Reprodução/tudointeressante

Olha só que interessante: a divisa dos três territórios é marcada com uma mesinha de piquenique.

9 – Egito e Israel

Fonte da imagem: Reprodução/tudointeressante

O astronauta mais legal de todos os tempos, Chris Hadfield, foi quem tirou essa foto, enquanto estava no espaço. Ao lado esquerdo está o Egito; e, ao direito, Israel.

10 – Estados Unidos e Canadá

Fonte da imagem: Reprodução/tudointeressante

Trata-se da maior fronteira entre países de todo o mundo, com 8.851 km de extensão.

11 – Argentina e Chile

Fonte da imagem: Reprodução/tudointeressante

É Jesus Cristo, do alto dos Andes, quem separa os dois países.

12 – Argentina e Brasil

Fonte da imagem: Reprodução/tudointeressante

As Cataratas do Iguaçu marcam a divisão dos dois países na região do estado do Paraná.

13 – China e Nepal

Fonte da imagem: Reprodução/tudointeressante

O topo de montanha mais alto do mundo, no Monte Everest, indica a fronteira entre China e Nepal.

14 – Estados Unidos e México

Fonte da imagem: Reprodução/tudointeressante

Uma das fronteiras mais famosas do mundo é também a mais atravessada de todos os tempos e, claro, eternamente vigiada, na tentativa de impedir que imigrantes ilegais cheguem à Terra do Tio Sam.

15 – Noruega e Suécia

Fonte da imagem: Reprodução/tudointeressante

Esse caminho na neve, com a ausência de árvores, é o que divide os dois territórios.

***

A foto de capa é a Tríplice Fronteira, que nada mais é do que o ponto que une – ou separa? – Argentina, Brasil e Paraguai por meio do encontro dos rios Iguaçu e Paraná.

Moradores do Acre têm medo de terra se separar do Brasil e virar Bolívia

Parte da cidade de Brasileia pode se “descolar” do país por causa da erosão
Fonte da imagem: EmResumo Moradores do Acre têm medo de terra se separar do Brasil e virar Bolívia

A cidade acriana de Brasileia pode assistir ao “descolamento” de uma porção de suas terras à margem do Rio Acre. Uma parte do município, que abrange os bairros de Samaúna e Leonardo Barbosa, está sofrendo com a erosão do rio, em vias de perder a ligação de terra com o Brasil e se transformar uma “ilha” dentro do espaço boliviano. Até o ano passado, a faixa de terra que unia os dois bairros ao resto da cidade media 20 metros, mas uma forte chuva acabou diminuindo a largura para 18 metros.

Apesar da possibilidade, a Bolívia nunca demonstrou ter interesse em tomar posse desses bairros que se localizam na fronteira das nações, o que não diminui a preocupação de alguns moradores da região. “Vamos ter que virar tudo boliviano. O rio está comendo muita terra”, reclamou João Oliveira Magalhães, de 61 anos, que reside no local com a esposa e um filho.

O prefeito de Brasileia disse que ainda não há uma solução para o problema, mas uma medida para desacelerar o processo está sendo estudada. Caso uma enchente acabe por isolar os bairros totalmente, ele afirmou que construiria uma ponte. De acordo com o Ministério de Relações Exteriores do Brasil, os moradores podem respirar aliviados, pois o curso do Rio Acre não interfere nas fronteiras.

Via EmResumo

Saiba quais foram os 5 terremotos mais poderosos de que se tem notícia

Conheça um pouco mais sobre alguns tremores de terra que abalaram a História
Fonte da imagem: Shutterstock Saiba quais foram os 5 terremotos mais poderosos de que se tem notícia

Por sorte, aqui no Brasil não sofremos com grandes tremores de terra, só com uns chacoalhõezinhos  bem de vez em quando. No entanto, existem países pelo mundo — inclusive alguns vizinhos nossos! — que estão acostumados com abalos violentos, desses que deixam inúmeras vítimas e provocam grandes destruições.

A seguir você pode conferir uma lista com os cinco piores terremotos já registrados no mundo, selecionados a partir de um artigo publicado pelo The Guardian. Por certo, você vai perceber que a escala utilizada foi a “magnitude de momento” ou Mw— e não a Escala de Richter —, que está baseada na medição da energia total liberada durante um sismo e é a mais utilizada pela sismologia para medir e comparar os abalos de terra de grandes proporções.

5 – Peru

Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia

Bem, quando este terremoto de magnitude 9Mw ocorreu, em 1868, a região de Arica ainda fazia parte do território peruano e não do chileno, como agora. O sismo resultou em um tsunami que destruiu a cidade de Arequipa e provocou a morte de 25 mil pessoas.

Os tremores também foram sentidos em La Paz, na Bolívia, e horas depois, ondas de 16 metros de altura atingiram o Havaí, inundando a costa e até arrastando um navio canhoneiro mais de três quilômetros continente adentro, que foi parar precariamente na beira de uma falésia de 60 metros.

4 – Rússia

Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia

Registrado em 1952, na península vulcânica de Kamchatka, na Rússia, este terremoto de magnitude 9 Mw não provocou danos locais. Quem sofreu com os abalos foram — de novo — as ilhas do Havaí que, apesar de estarem localizadas a quase 5 mil quilômetros de distância do epicentro, foram atingidas por um tsunami que provocou danos estimados em vários milhões de dólares.

3 – Oceano Índico

Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia

Você provavelmente se lembra deste terrível terremoto que ocorreu a costa oeste de Sumatra, na Indonésia, em dezembro de 2004. O sismo de magnitude 9,1 Mw ocorreu um dia após o natal, e o tsunami resultante arrasou  diversas cidades litorâneas e provocou a morte de aproximadamente 230 mil pessoas. Este foi o pior desastre natural já registrado — com respeito ao número de vítimas — da História.

2 – Alasca

Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia

Com magnitude 9,2 Mw, o terremoto que atingiu a enseada de Prince William no Alasca em março de 1964, além dos violentos tremores, também provocou deslizamentos de terra e a elevação de algumas ilhas remotas em até 11 metros. O sismo desencadeou um tsunami que chegou a atingir 67 metros de altura e arrasou a cidade de Valdez, deixando 128 mortos e danos estimados em mais de R$ 700 milhões.

1 – Chile

Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia

O terremoto mais poderoso já registrado no mundo foi o que ocorreu no Chile em maio de 1960. Com uma magnitude de 9,5 Mw, o sismo deixou mais de 4.400 vítimas — entre mortos e feridos —, além de aproximadamente 2 milhões de desabrigados. O tremor foi seguido de um tsunami não só destruiu o Porto Saavedra, como também matou outras 170 pessoas quando ondas de mais de 5 metros de altura atingiram as costas do Japão e das Filipinas.

Para piorar ainda mais a situação, apenas um dia após o terremoto o vulcão Puyehue, localizado na Cordilheira dos Andes, na região de Los Ríos, entrou em erupção, lançando cinzas a mais de 6 mil metros de altura. A atividade vulcânica durou várias semanas.

Conheça mais 5 lugares “fantasmas” e as curiosidades sobre eles

Saiba quais são os parques, cidades e até aeroportos que foram totalmente abandonados após seus anos de glória. Além desses, existem locais que foram construídos com objetivos um tanto curiosos
Fonte da imagem: Reprodução/The Wanderer Conheça mais 5 lugares "fantasmas" e as curiosidades sobre eles

Você já conferiu aqui no Mega Curioso sete das cidades fantasma mais curiosas do mundo, mostrando localidades que um dia foram habitadas e tiveram muito movimento, mas depois, por algum motivo, foram completamente abandonadas. Agora, apresentaremos a vocês mais alguns lugares “fantasmas” que existem pelo globo.

São locais que um dia já receberam milhares de pessoas e se tornaram abandonados por falta de recursos para continuar funcionando ou mesmo por serem projetos estranhos criados pelos governos. Outros foram construídos com objetivos bem diferentes, mas mantêm seus espaços quase que totalmente desertos. Quer saber quais são eles? Confira abaixo.

5 – Parque aquático abandonado da Rússia

Fonte da imagem: Reprodução/Dmitry Mordolff

Mais uma lista em que a Rússia marca presença. Mas, dessa vez, não foi por algo tão esquisito, mas por um enorme parque aquático fantasma. Tudo começou em 1997, quando um grande centro aquático — esportivo e para diversão — começou a ser construído em Moscou.

O projeto de construção se prolongou por cinco anos e, então, foi isso. O empreendimento (que seria indoor, ou seja, totalmente coberto) parou com os espaços ainda sem nenhuma finalização e os operários nunca mais voltaram às obras.

Originalmente construído para os Jogos Mundiais da Juventude, a listagem de suas instalações propostas prova que a obra não poupou nenhuma despesa, mas ninguém estava se importando com o produto final. Cheiro de lavagem de dinheiro no ar…

Fonte da imagem: Reprodução/Dmitry Mordolff

Porém, se fosse finalizado, o local seria realmente incrível. Por exemplo, o parque abrigaria um telhado de vidro com altura de 12 andares, teria ainda três pisos subterrâneos de atrações e um adicional de nove pisos acima do solo, cinco piscinas completas com toboáguas, além de uma pista e campo de atividades.

O parque também deveria abrigar o que eles iam chamar de “Palácio dos Esportes”, que era um hotel para os atletas visitantes que tinha escritórios, cafés e um centro de fisioterapia e medicina. Agora é apenas um bom lugar para servir de cenário para filme de zumbis ou um espaço ótimo para paintball.

Um dos principais motivos para a interrupção da construção do parque foi o fato de que os Jogos Mundiais da Juventude aconteceram em 1998 e as obras deste enorme parque aquático só começaram em 1997. Infelizmente, esse tipo de coisa também acontece bastante em outros países.

4 – Falsa cidade na Coreia do Norte

Fonte da imagem: Reprodução/Wikipedia

A terrinha do esquisitão líder Kim Jong-un também abriga vários projetos bizarros. Porém, teremos que falar somente de um: a cidade vazia de Kijong–dong. Nós citamos esse local neste outro artigo, mas a seguir você pode conferir mais detalhes.

A bizarrice já começa nos seguintes fatos: além de ninguém nunca ter vivido lá, o local foi construído justamente para nenhuma pessoa morar em suas instalações. Mas, como assim?

Bem, a cidade de Kijong-dong é um dos dois únicos “assentamentos” que existem dentro da Zona Desmilitarizada da Coreia (área com 4 km de largura e 238 km de comprimento feita especificamente para a contenção militar) que limita o território entre a terra de Kim Jong com a República da Coreia (Coreia do Sul).

Apesar das alegações da Coreia do Norte de que Kijong-dong seja uma comunidade agrícola com 200 famílias, a cidade serve apenas como uma ilusão criada para mostrar como é “ótima” e “moderna” a vida é naquele país, criando apenas um falso cenário para os sul-coreanos assistirem com seus binóculos. Na maior parte tudo é completamente vazio e sem uso.

Fonte da imagem: Reprodução/Cracked

Kijong-dong é isso, uma cidade-fantasma criada para os sul-coreanos acreditarem que o paraíso se encontra do outro lado da fronteira. O lugar parece um pouco com o filme “O Show de Truman”, lembram? O que parecem ser os cidadãos circulando pelo local, realizando as suas atividades diárias, na verdade são atores colocados lá para dar a impressão de que a cidade é ocupada.

Todos os dias, eles são levados de ônibus e retornam à noite para as suas casas fora dali. Eles não podem ficar na cidade-fantasma porque, embora pareçam ser completos à distância, todos os prédios são conchas ocas gigantes, sem paredes interiores, pisos ou janelas. Mas, eles têm iluminação elétrica (algo que falta na maior parte da Coreia do Norte), a fim de completar a encenação.

3 – O parque Olímpico que se tornou uma zona de guerra

Fonte da imagem: Reprodução/Sharon Machlis Gartenberg

Em 1984, os Jogos Olímpicos de Inverno foram realizados em Sarajevo, na antiga Iugoslávia, onde um grande parque esportivo foi construído e utilizado na época. Porém, depois dos conflitos que assolaram a região nos anos 1990, o antigo parque olímpico se transformou em ruínas destruídas por bombas e tiros, como você pode conferir na imagem acima.

2 – Aeroporto deserto na Espanha

Fonte da imagem: Reprodução/ABC.Es

O Ciudad Real Aeroporto Central na Espanha teve um custo de um bilhão de euros para a sua construção. Ele fica localizado entre Madrid e a costa da Andaluzia, sendo que a sua construção foi concluída em 2009 e o local foi inaugurado no mesmo ano.

Fonte da imagem: Reprodução/Mashable

No entanto, em vez de lidar com os esperados 10 milhões de passageiros por ano, o Ciudad Real Central conseguiu uma média de 22 mil passageiros durante seu breve e solitário período de operações, antes de fechar completamente em 2011.

1 – Uma cidade vazia enorme e novinha na China

Fonte da imagem: Reprodução/Time

Situada dentro da maior região de Ordos, Kangbashi parece uma metrópole varrida por algo como um ataque zumbi: não há quase ninguém nas ruas. Porém, os prédios gigantes são novos e impecáveis, mas ninguém jamais viveu na maioria deles. E, ainda assim, estão construindo mais.

No entanto, em uma partezinha dessa imensa cidade deserta, existem algumas pessoas, sendo cerca de 20 mil habitantes. Falando assim, parece muito, não é? Mas Kangbashi foi projetada para abrigar em torno de um milhão de pessoas.

Fonte da imagem: Reprodução/Time

Estranhamente, a maioria dos condomínios e apartamentos foi vendida. A cidade inteira foi construída antes da chegada das pessoas, mas elas simplesmente nunca chegaram (além daqueles citados acima). Mas então por que comprar uma casa em que você nunca pretende viver?

Simples: muitos cidadãos chineses não confiam no mercado de ações, por isso, é geralmente percebido como mais seguro investir dinheiro em imóveis. O resultado é uma cidade inteira com seus imóveis vendidos, mas sem ninguém vivendo por lá. Mais uma criação dos orientais.

Você tem ideia de qual é o tamanho do oceano?

Conheça alguns números que vão ajudar você a ter uma noção da dimensão desse gigante.
Fonte da imagem: TED Ed Você tem ideia de qual é o tamanho do oceano?

Já contamos para vocês aqui no Mega Curioso qual é o ponto mais profundo do oceano, por que é que a água do mar é salgada e até os motivos de enxergarmos a sua cor como sendo azul. Mas e o tamanho do oceano, você saberia como quantificar isso de forma que seja possível comparar a sua grandeza com algo palpável?

Bem, para começo de conversa, apesar de aprendermos que existem cinco oceanos — Pacífico, Atlântico, Índico, Ártico e Antártico —, todos fazem parte de uma única massa de água, formando, na verdade, apenas um oceano. Então, imagine que você está parado em uma praia, observando toda aquela vastidão azul se perder além do horizonte, e com as ondas batendo pertinho de você… agora, se pergunte: qual é o tamanho disso tudo?

Gigante

Fonte da imagem: Reprodução/TED Ed

O oceano é — sem sombra de dúvidas — a característica da Terra mais visível a partir do espaço, cobrindo 71% da superfície do nosso planeta. Isso equivale a 360 milhões de quilômetros quadrados ou à área correspondente a 36 Estados Unidos juntos. Por falar em espaço — e nos EUA —, o oceano comporta 1,3 bilhão de quilômetros cúbicos de água.

Essa quantidade seria suficiente para fazer uma “coberta” para os Estados Unidos inteiros – incluindo aqui o Alasca e o Havaí — com 132 quilômetros de água. Para que você tenha uma ideia da altura que esse “paredão” alcançaria, ele ultrapassaria com sobra até as nuvens mais altas, estendendo-se tranquilamente pelas camadas mais elevadas da atmosfera.

Fonte da imagem: Reprodução/TED Ed

Com tamanho volume, o oceano representa 97% de toda a água que existe na Terra, sem contar que ele abriga 99% de toda a biosfera, ou seja, todos os locais e espaços nos quais existe vida! Em contrapartida, para que você possa comparar, a soma de todos os lugares habitáveis no mundo emerso juntos, incluindo os próprios continentes, representa apenas o 1% restante.

Mais números

Fonte da imagem: Reprodução/TED Ed

Com esses dados já é possível ter uma ideia da dimensão do oceano, assim como de sua importância vital para o planeta, não é mesmo? Mas, espere… Isso não é tudo! As maiores estruturas geológicas do planeta também se encontram “ocultas” pelas águas, como a dorsal oceânica, por exemplo, com cerca de 65.000 quilômetros de extensão, ou seja, 10 vezes mais longa do que a maior cadeia montanhosa da superfície, os Andes.

Além disso, a montanha mais alta do mundo também se encontra no oceano! E não pense que estamos falando do “Montinho” Everest. Na verdade, o vulcão Mauna Kea — que forma uma das ilhas do Havaí — conta com pouco mais de 4.200 metros de altura acima do nível do mar. Contudo, ainda existem outros 5.800 metros que se encontram submersos, o que significa que essa formação conta com aproximadamente 10 mil metros de altura no total.

Humanos

Fonte da imagem: Reprodução/TED Ed

A animação a seguir — produzida pelo pessoal do TED Ed e que serviu de fonte para as informações desta matéria — ilustra um pouquinho do quão absurdamente gigante o oceano é, assim como o quão importante ele é para a nossa existência. Suas águas definem o nosso planeta, servindo de “armazém” para as maiores estruturas geológicas da Terra e de “casa” para a grande maioria das formas de vida que existem no mundo.

Seu escopo é tão grande que chega a ser praticamente incompreensível. Entretanto, apesar de tão vasto, isso não significa que o oceano seja intocável. Com tantos humanos vivendo próximo à costa, sem contar os que estão emporcalhando as águas de rios, lagos e pântanos — que, invariavelmente vão parar no mar —, cada um de nós exerce influência sobre o oceano e toda a vida que ele comporta.

Mais de 80% dos depósitos de ouro da Terra são formados durante terremotos

Por incrível que pareça, a maior parte do ouro do nosso planeta é formado instantaneamente, devido a grande pressão de sismos provocados no interior da Terra.
Fonte da imagem: ShutterStock/io9 Mais de 80% dos depósitos de ouro da Terra são formados durante terremotos

De acordo com um artigo publicado pela revista New Scientist, mais de 80% dos depósitos de ouro do nosso planeta são formados por terremotos que acontecem no interior da Terra, já que possuem a capacidade de rachar rochas de maneira tão rápida que os fluidos que correm por elas evaporam automaticamente. Esse processo deixa para trás resíduos muito ricos em minerais, incluindo o ouro.

Geólogos já sabiam que o ouro costuma se formar quando água rica em minerais escorre pelas fendas de rochas que estão entre 5 e 30 quilômetros abaixo do solo. Mas ainda não havia pistas de como o ouro se formava nessas valas. O papel dos terremotos nesse processo sempre foi levado em consideração, mas como se acreditava que as mudanças de pressão provocadas por esses fenômenos naturais eram pequenas demais, os pesquisadores não tinha certeza de que elas eram tão  influentes no processo.

Agora, Richard Henley, da Universidade Nacional Australiana, e Dion Weatherley, da Universidade de Queensland, estudaram a dinâmica desses sismos e constataram que as mudanças de pressão provocadas por terremotos são muito maiores do que se pensava. O modelo construído pelos cientistas sugere que esse fenômeno é capaz de abrir fendas na velocidade do som, mesmo em rochas muito profundas.

Ouro instantâneo

Quando uma rocha é quebrada por um terremoto, o fluido que escorre por ela não consegue ser rápido o suficiente para preencher o buraco recém-formado e acaba evaporando. Isso se deve ao fato de que pressão naquela região cai instantaneamente e com uma variação absurda: vai de 3 mil vezes o valor da pressão atmosférica para a mesma pressão experimentada na superfície da Terra, de maneira quase instantânea.

O processo de evaporação do fluido nessas condições é conhecido como “evaporação flash” (flash evaporation). Quando isso ocorre, os minerais contidos no líquido acabam se acumulando nas rochas e muitos acabam sendo levados, posteriormente, por outros fluidos que possam escorrer por ali. Entretanto, os minerais menos solúveis, como é o caso do ouro, permanecem naquele local.

Segundo o geólogo John Muntean, da Universidade de Nevada em Reno, Estados Unidos, o trabalho de Henley e Weatherley é importante porque quantifica essa queda de pressão e faz a associação desses dados com os de solubilidade do ouro.