Arquivo da categoria: Espaço Geográfico

Utopia americana na Amazônia

Na floresta amazônica, as ruínas da terra da fantasia de Ford

A selva amazônica já engoliu o campo de golfe Winding Brook. Enchentes arrasaram o cemitério, deixando para trás um monte de cruzes de concreto. O hospital de cem leitos projetado pelo aclamado arquiteto de Detroit Albert Khan foi destruído por saqueadores.

Diante da escala de decadência e decrepitude nesta cidade –fundada em 1928 pelo empresário Henry Ford em paragens longínquas da bacia Amazônica–, eu não esperava encontrar as residências imponentes, muitas delas bem preservadas, na Palm Avenue. Mas lá estavam elas, graças aos invasores.

“Esta rua foi um paraíso dos saqueadores. Os ladrões levaram móveis, maçanetas, tudo o que os americanos deixaram para trás”, disse Expedito Duarte de Brito, 71, um leiteiro aposentado que vive em uma das casas construídas para os gerentes de Ford no que deveria ser uma cidade de plantação utópica. “Eu pensei: ‘Ou eu ocupo este pedaço da história ou ele se somará às outras ruínas de Fordlândia'”, disse Brito.

Bryan Denton/The New York TimesBryan Denton/The New York Times

A Mística região de Wulingyuan – Fonte de inspiração para “Avatar”

A incrível região de Wulingyuan fica na província de Hunan, na China. Foi declarada Património Mundial em 1992 na Área de Interesse Cênico e Histórico. As características geográficas mais notáveis do parque são as suas formações em forma de pilares, que existem por todo o parque, sendo mais de 3.000 e cuja maioria tem mais de 200 metros de altura.

Montanhas da China (1)

No Zhangjiajie National Forest Park, China, são encontradas formações geológicas realmente impressionantes. Elas parecem saídas de um filme de ficção científica, mas, na realidade, foram elas que deram origem à paisagem fantasiosa do filme Avatar – especialmente a montanha de Hallelujah.

Continuar lendo A Mística região de Wulingyuan – Fonte de inspiração para “Avatar”

‘Eremita da Amazônia’ guarda uma cidade fantasma brasileira rica em história

Apesar de os moradores terem abandonado a cidade gradualmente depois do boom da borracha, algumas poucas famílias tentaram repovoar o local
Mauricio Lima/The New York Times

Apesar de os moradores terem abandonado a cidade gradualmente depois do boom da borracha, algumas poucas famílias tentaram repovoar o local

Shigeru Nakayama, o guardião desta cidade fantasma na floresta amazônica, olha para o rio Negro, um vasto afluente de águas escuras. De alguns ângulos, ele mais parece o mar do que um rio, o que o faz lembrar do Japão.

“Fukuoka ficava fria durante o inverno”, disse Nakayama, 66, que deixou a ilha de Kyushu no sul do Japão com seus pais e três irmãos em meados dos anos 1960 para uma nova vida no Brasil. “Éramos agricultores, tentando chegar à frente. O Japão tinha sido reduzido a cinzas depois da guerra. A vida ainda era dura.”

“Mas o Brasil era a terra dos nossos sonhos”, disse Nakayama, com olhos semicerrados devido ao sol punitivo do meio-dia, enquanto apoiava seu corpo magro contra uma das edificações de pedra em ruínas de Airão Velho –-uma cidade tão coberta pela mata e abandonada que agora é abraçada por um labirinto de raízes de árvores e trepadeiras.

Continuar lendo ‘Eremita da Amazônia’ guarda uma cidade fantasma brasileira rica em história

Governo do Chile declara estado de exceção após erupção de vulcão Calbuco

 Crianças observam erupção do vulcão Calbuco, em 22 de abril Foto: Carlos F. Gutierrez / AP
Crianças observam erupção do vulcão Calbuco, em 22 de abril
Foto: Carlos F. Gutierrez / AP

O governo chileno decretou estado de excepção em cidades próximas ao vulcão Calbuco, no sul do país, que entrou em repentina e violenta erupção nesta quarta-feira.

“Decretamos estado de exceção por catástrofe na província de LLanquihue e na comuna de Puerto Octay”, o que significa que as Forças Armadas assumiram o controle nestas localidades, disse o ministro do Interior, Rodrigo Peñailillo.Localizado na região dos lagos chilenos, o vulcão Calbuco entrou em erupção por quase 90 minutos, levando o governo a decretar alerta vermelho e a determinar a evacuação de povoados no entorno da montanha.

A erupção teve um nível de 4-5 em uma escala que vai até 8, informou Peñailillo, destacando que até o momento não há informação “sobre feridos ou desaparecidos”.

 

Continuar lendo Governo do Chile declara estado de exceção após erupção de vulcão Calbuco

Erupção de vulcão chileno gera alerta vermelho e ordem de evacuação

Alerta vale para zona de 10 km ao redor da cratera do Calbuco.
Vulcão fica no sul do país, na região dos lagos chilenos.

Fumaça e cinzas do vulcão Calbuco surgem no céu visto da cidade de Puerto Montt, no Chile. O vulcão Calbuco, no sul do país, entrou em erupção pela primeira vez em mais de cinco décadas nesta quarta-feira (22) (Foto: Rafael Arenas/Reuters)
Fumaça e cinzas do vulcão Calbuco surgem no céu visto da cidade de Puerto Montt, no Chile. O vulcão Calbuco, no sul do país, entrou em erupção pela primeira vez em mais de cinco décadas nesta quarta-feira (22) (Foto: Rafael Arenas/Reuters)

O vulcão chileno Calbuco entrou em erupção nesta quarta-feira (22) e expeliu uma potente coluna de cinzas de vários quilômetros de altura, o que não acontecia há quase 50 anos, provocando o isolamento das cidades mais próximas.

Ele está localizado na turística região dos Lagos, 900 quilômetros ao sul de Santiago, e sua atividade ocorre no mesmo momento em que outro vulcão no país, o Villarica, também está em fase de erupção.

Continuar lendo Erupção de vulcão chileno gera alerta vermelho e ordem de evacuação

Da Estação Espacial, astronauta lança teste de geografia no Twitter

Scott Kelly, da Nasa, postará fotos da Terra para instigar usuários.

Quem acertar primeiro ganhará foto autografada pelo astronauta.

 

O astronauta da Nasa, Scott Kelly, vai desafiar os usuários do Twitter a descobrirem o local da Terra mostrado na foto feita da Estação Espacial Internacional (Foto: Divulgação/Nasa)
O astronauta da Nasa, Scott Kelly, vai desafiar os usuários do Twitter a descobrirem o local da Terra mostrado na foto feita da Estação Espacial Internacional (Foto: Divulgação/Nasa)

O astronauta americano Scott Kelly lançou nesta quarta-feira (22) um teste de geografia no Twitter, no qual publicará semanalmente uma foto capturada da Estação Espacial Internacional para que seus seguidores identifiquem sua localização.

Kelly está passando um ano na estação espacial com o cosmonauta russo Mikhail Kornienko para realizar uma pesquisa sobre como a mente e o corpo humanos aguentam longos períodos no espaço, antes de futuras missões mais longas a Marte nas próximas décadas.

Continuar lendo Da Estação Espacial, astronauta lança teste de geografia no Twitter

Ciclone destrói ilha no Pacífico Sul e causa dezenas de mortes

Presidente de Vanuatu pede ajuda internacional após tempestade devastar o país

Moradores tentam resgatar o que sobrou num pequeno abrigo em Port Vila, capítal de Vanuatu, após passagem do ciclone Pam – HANDOUT / REUTERS

 

SIDNEI e SENDAI – Um balanço parcial da Organização das Nações Unidas, divulgado na manhã deste sábado, informou que somente em uma província chega a 44 o número de mortos pelo ciclone Pam, que destruiu a ilha de Vanuatu, no Pacífico Sul, nesta sexta-feira. A equipe de resgate afirma que serão necessárias semanas de trabalho até que o estrago total possa ser contabilizado. O presidente do país, Baldwin Lonsdale, que estava em Sendai, no Japão, pediu ajuda da comunidade internacional. Ele descreveu a situação como uma “calamidade”.

O ciclone Pam, um dos mais potentes a atingir o Oceano Pacífico, devastou Vanuatu com ventos que chegaram a 340 quilômetros por hora. A ilha ficou praticamente sem energia elétrica, com pouca comunicação e risco de racionamento de água e comida. Testemunhas disseram ter visto ondas de até oito metros de altura atingindo a capital do país, Port Vila, quando a tempestade de categoria 5 — o nível máximo — começou.

A ONU informou que está preparando uma grande operação de auxílio. A Austrália, país vizinho ao complexo de ilhas, também ofereceu ajuda. Organizações humanitárias informam que a destruição foi grande, especialmente na capital do país. Árvores e telhados foram arrancados, e diversas casas foram destruídas. Os desabrigados estão alojados em abrigos emergenciais. Diversos representantes de ONGs que trabalham no país relataram a situação de desespero, Tom Skirrow, diretor da organização Save the children, disse que o cenário na manhã deste sábado era de “devastação completa”:

— Casas estão destruídas, árvores caídas, estradas bloqueadas e há pessoas vagando pelas ruas pedindo ajuda. A comunicação está interrompida em todo o país, e a abrangência do estrago só deve ser conhecida daqui a alguns dias.

Chloe Morrison, representante da World Vision, disse que cidades inteiras foram destruídas em áreas mais remotas do país.

— As ruas estão cheias de telhados, árvores e postes de energia arrancados. O estrago é muito grande na capital, Port Vila, mas é ainda pior nas ilhas menores e mais vulneráveis.

Já na sexta-feira, as autoridades locais dispararam um alerta vermelho para os habitantes do país alertando para a chegada do ciclone. O aviso pode ter salvado vidas mas não chegou a evitar muitas tragédias.

Representantes da Unicef da Nova Zelândia alertaram para a gravidade do ciclone. “Embora ainda seja cedo para afirmar com certeza, os primeiros relatórios indicam que este desastre seja um dos piores da história da região do Pacífico” disse, em declaração, a diretora executiva da Unicef na Nova Zelândia, Vivien Maidaborn. As autoridades de resgate disseram ainda que o ciclone é comparável em intensidade ao tufão Haiyan que, em 2013, matou mais de 6 mil pessoas nas Filipinas.

Homem observa o estrago provocado em sua casa pelo ciclone Pam, que atingiu a cidade de Port Vila,…Foto: POOL / REUTERS
A ONU e outras organizações humanitárias já estão se organizando para enviar ajudar a VanuatuFoto: AP

 

Vanuatu é um complexo de 83 ilhas, com cerca de 260 mil habitantesFoto: FRED PAYET / AFP

 

Um satélite da Nasa registrou a chegada do ciclone a VanuatuFoto: NASA / Reuters

© Copyright Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

Nasa detecta derretimento acelerado de gelo da Antártida

  • Camada de gelo da Antártida Ocidental está sofrendo um colapso lento

A enorme camada de gelo da Antártida Ocidental está sofrendo um colapso lento de uma forma irrefreável, revelaram dois novos estudos. Cientistas alarmados afirmaram que isso significa elevação ainda maior do nível do mar do que eles imaginavam.

Os resultados preocupantes não serão vistos em breve. Os cientistas se referem a centenas de anos, mas durante esse tempo o derretimento que já começou poderia, eventualmente, adicionar de 1,2 metro a 3,6 metros aos atuais níveis do mar. Esse ritmo é mais rápido do que cientistas previam.

Um estudo da NASA que analisou 40 anos de dados de solo, aviões e de satélite sobre o que os pesquisadores chamam de “o ponto fraco da Antártida Ocidental” mostra que o derretimento está ocorrendo mais rápido do que os cientistas haviam previsto, cruzando um limiar crítico que deu início a um processo semelhante a um dominó.

“Parece estar acontecendo rapidamente”, disse o glaciologista da Universidade de Washington Ian Joughin, autor de um dos estudos. “Nós realmente estamos testemunhando os estágios iniciais.”

É provável que isso ocorra por causa do aquecimento global provocado pelo homem e pelo buraco na camada de ozônio, que mudaram os ventos da Antártida e aqueceram a água que corrói as bases do gelo, disseram os pesquisadores em entrevista coletiva na Nasa nesta segunda-feira.

“O sistema está em uma espécie de reação em cadeia que é irrefreável”, disse o glaciologista da Nasa Eric Rignot, principal autor do outro estudo, que foi publicado na revista Geophysical Research Letters. “Cada processo nesta reação está alimentando o próximo.” Segundo ele, limitar as emissões de combustíveis fósseis para reduzir a mudança climática provavelmente não irá deter o derretimento, mas pode diminuir a velocidade do problema.

Fonte: Associated Press.

Interior de shoppings brasileiros agora pode ser visto pelo Google Maps

Desde terça-feira, 6, os brasileiros podem usar o Google Maps para consultar o interior de shoppings, estádios e aeroportos do país, graças a um recurso chamado Indoor.

A ferramenta existe há cerca de dois anos, mas só chegou por aqui agora. O Indoor ajuda os internautas a se localizar dentro de áreas de interesse e pode ser acessado pelo desktop ou em Android e iOS (não é preciso atualizar os aplicativos).

Reprodução

Por enquanto a novidade lista 11 estádios, 15 aeroportos e mais de 100 shoppings brasileiros. Quando houver mais de um andar, como geralmente ocorre nos shoppings, dá para alternar entre eles por um ícone que surge à direita da tela.

Clique aqui para conferir a lista completa de locais onde o Indoor já opera.

Ampliando sua visão do Mundo.