Sonda Messenger confirma a existência de um oceano de lava em Mercúrio

Dois tipos de pedras descobertas na superfície do planeta comprovam a formação do magma.

Fonte da imagem: TG Daily Sonda Messenger confirma a existência de um oceano de lava em Mercúrio

O satéliteMessenger(Mercury Surface Space Environment Geochemistry), orbitante em Mercúrio desde 2011, registrou dados comprovantes de que o planeta já teve um grande oceano de lava, formado há cerca de 4,5 bilhões de anos. Um grupo de cientistas analisou fluorescência em imagens que mostra o aparecimento de duas composições de pedras distintas.

Em laboratório, esses pesquisadores usaram os registros para tentar recriar esses dois tipos de pedras e as sujeitaram a altas temperaturas e pressões, como forma de simular processos geológicos comuns. O resultado da experiência foi a seguinte conclusão: um oceano de magma criou duas camadas de cristais diferentes que solidificaram e novamente derreteram, criando um magma que se espalhou pela superfície do planeta.

De acordo com o professor de Geologia do instituto MIT, Timothy Grove, o que mais impressiona é que “o acontecimento não é de ontem e a crosta provavelmente tem mais de 4 bilhões de anos”. Grove também declara que as estimativas são de que o oceano de magma esteve presente desde o início da existência de Mercúrio e, provavelmente, foi criado através de um violento processo que deu origem ao planeta.

O Messenger

Lançada em 2004 e em órbita desde o dia 17 de março de 2011, a sonda é a primeira nave a orbitar Mercúrio, a 12 horas de viagem do planeta e em uma altitude de 200 km. Equipada com nove instrumentos científicos, a nave está a 46,14 milhões de quilômetros do Sol e a 155,06 milhões da Terra.